quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Sedimentações/Sedimentations







Esta série de desenhos pictóricos têm como mais valia a antinomia entre a fronteira da pintura e do desenho. Que características definem onde acaba e onde começa um e outro conceito?
No meu caso preocupei-me com a prevalência do desenho através da utilização da tinta caligráfica como meio riscador, e com a sua diluição/aguada como elemento de cariz mais pictórico, bem como a utilização de duas cores em sobreposições e interacções. A sedimentação é conseguida pelas sucessivas camadas matéricas do suporte: 1º – Papel de jornal rasgado ou cortado. 2º- tinta água que permite efeitos de transparência e absorção das colagens de jornal e das tintas caligráficas da camada seguinte. 3º As intervenções com o aparo e o pincel tendo como veículo as tintas caligráficas. 4º A goma laca como elemento de fusão e de estabilização da matéria sedimentar-compositiva.

This series of pictorial drawings has as more value the antinomy between the border of the painting and the drawing. Wich characteristic defines where finishes and where one and another concept starts? In my case, I' m worried about the prevalence of the drawing using calligraphical ink as medium, and with its watery/dilution as element of more pictorial character, as well as the use of two colors in overlappings and interactions. The sedimentation is obtained by the successive material layers of the support: 1st - torn or cut news paper. 2d- ink water that allows to effect of transparency and absorption of the collage paper and the calligraphical inks of the following layer. 3d- the interventions with steel pen and the brush having as vehicle the calligraphical ink. 4d- the gum varnish as element of fusing and stabilization of the sedimentary-composition.

11 comentários:

Alexandre Júlio disse...

Bom Dia Manel!

Pelos vistos acabo de assistir ao parto de mais um projecto original em torno da tua perdição o Quercus Suber.
Já nos habituastes ao traço calibrado com que fazes crescer os teus sobreiros, eu gosto principalmente das tuas arvores centenárias, de formas originais e fora do comum.
Parabéns pela tua obra, pela tua dedicação a esta causa tão nobre, perpetuar a nossa produção suberícola, uma das poucas riquezas naturais de que dispomos. Eu agronómicamente, tu através da paleta de cores, dois amantes da causa suberícola, contribuindo cada um á sua maneira, para que este rico património, o MONTADO seja cuidado e preservado, mantendo viva a sua importância no ecosistema onde se insere, para bem das gerações vindouras.
"Adelante Manel", parabéns.
Nota - fico honrado em me caber a mim, o pontapé de partida nesta viagem que se quer, longa e prazerosa, força Manel!

Um Abraço. AP

Anónimo disse...

Muito bem, os teus projectos são sempre carregados de qualidade e harmonia . Sou um apreciador. Abraço

talcobia disse...

gostei
mas fico a pensar que sim, esses desenhos se aproximam muito da tua pintura, enquanto a pincelada solida é substituida por uma trama linear também bastante carregada.
Fico a pensar se não seria interessante, da mesma forma que eu quero diminuir a intensidade dos meus contrastes nestes novos trabalhos, se tu aumentasses a tua, no sentido de teres alguns apontamentos mais escuros/grossos/negros que tornassem mais evidente o desenho da forma e não a sua tridimensionalidade (que já dominas muito bem) abraço

Tiago disse...

Gosto!

Além de gostar parece-me que o teu desenho ainda tem muito de pintura, quero dizer que embora não se sobreponha ao desenho o "craft" da pintura continua presente, não é de estranhar pois é o teu medium principal. De qualquer forma estes desenhos fazem-me lembrar os desenhos orientais, pelo seu ambiente e registo gráfico. Muito Bem.

Elsa Boto disse...

Está lindo Manuel...Parabéns!

Beijinhos

EBoto

Vera Fradinho disse...

Parabens professor Manuel!!!
Como sempre estão lindos.
Espero que continue cada vez a ter mais sucesso, porque vai no bom caminho!

arminda disse...

Viva Manel, entendo o Telmo, tabém gosto de desenho com mais contrastes mas, é este o teu sentir e que se lixem as receitas. Pareciam-me antes, gravuras pela prevalência dos traços de contorno...ainda que suaves. Gosto muito da tua sensibilidade para as texturas. Continua a dar força ao Desenho. Para quando fazermos um grupo para mostrar do que somos capazes, ainda que só uma vez?
Abraço
Arminda

Anónimo disse...

Ola Manel, gostei muito e acho que estas no bom caminho. È diferente do que estamos habituados mas muito bom. Continua a fazer também estes trabalhos com este formato mais pequeno, para quem quem goste possa ter em casa, ao contrario dos grandes, nem toda a gente tem possibilidade tanto monetario como de espaço. beijos carmo

Anónimo disse...

Ola professor Manuel Casa Branca.
Está tudo bem?Sempre fui uma apreciadora do seu trabalho,acho que é e uma optima qualidade e estes nao são execção.
Espero que continue assim no auge .

Beijinhos ,Elsa Trindade

Anónimo disse...

Enhorabuena Manuel, como siempre tus obras son un deleite para los sentidos y, en tu caso, la experimentación matérica no resta en absoluto calidad a tu obra, la complementa ofreciendo nuevos e interesantes registros.
Un abrazo.
Marta

Jacke disse...

Suas obras são lindas!