terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Dentro do Vento Suão - Inside the hot south wind



Dentro do Vento Suão - Ruskin was Right
149 x 174 cm
Óleo e técnica mista sobre tela
Data de realização: 2003-2010

Inside of Hot South Wind - Ruskin was Right
149 x 174 cm
Oil and mixed media on canvas
Date of Production: 
2003-2010

Este quadro pertence a uma série realizada a partir de 2003 após a leitura do Livro de José Luís Peixoto (JLP), Nenhum Olhar. Em 2010 acrescentei elementos formais inspirados na leitura de Elements of Drawing de John Ruskin.
Desde 2003 até agora foram feitas muitas alterações e muitas pausas. A composição foi rodando desde uma posição invertida 180º. Agora está num compromisso entre a paisagem e o tronco que lhe deu estrutura formal. No Verão de 2003 houve uma terrível época de fogos que fustigaram muitos sobreiros e a paisagem ficou negra. Compreendi a fragilidade do meio ambiente. Dentro do vento Suão, é uma frase do livro de JLP que descreve o Alentejo canícula e que por coincidência lia nesses dias.
O Livro Nenhum Olhar, foi publicado pela primeira vez em 2000, e é a mais traduzida das suas novelas. Recebeu o Prémio José Saramago em 2001 e descreve um universo em que a paisagem rural Alentejana se mistura com elementos do fantástico.

This table belongs to a series held since 2003 after reading the book by José Luís Peixoto (JLP), Blank Gaze. In 2010 I added formal elements inspired by the reading of Elements of Drawing, John Ruskin. Since 2003 until now have been many changes and many pauses.  The composition has been running since an inverted 180º. Now is a compromise between the landscape and the trunk that gave formal structure. In summer 2003 there was a time of terrible fires that hit many cork trees and the landscape became black. I understood the fragility of the environment. Inside the Hot South wind is a phrase from JLP’s book that describes the Alentejo heatwave and by coincidence I read on those days. The book Blank Glaze, was first published in 2000, and is the most translated of his novels. He received the José Saramago Prize in 2001 and describes a universe in which the Alentejo country side blends with elements of fantasy.

5 comentários:

Telmo Alcobia disse...

este quadro é estranho. percebo o que dizes da sua origem, mas parece que ficaram duas linguagens em conflito, do traço certo e "opaco" e as manchas mais "suaves" informes. Gostava de ver essas manchas serem tratadas como os elementos maiores de desenho, como um traço ou mancha uniforme e bem definida.
Quase como se aquela linguagem mais sintética do "alfabeto" fosse transformada em linhas de construção de toda a imagem.
mas isso sou eu e a minha "pureza estética" ;)

Manuel Casabranca disse...

Olá Telmo
essa questão é muito interessante da acentuação da linha gráfica dos elementos mais voláteis em segundo plano. A ideia é pegar na atinomia entre o objecto que é sólido =tronco= com o estado gasoso do fumo que parece também liquefazer-se, aí tento soltar realmente as formas. Mas sabes que me parece ter obtido mais profundidade e quase uma teatralidade barroca LOL
abraço

A-line disse...

Muito interessante a composição de cores... A gente tem uma sensação bacana quando vê. Tá super tri mesmo. Um abraço!

Manuel Casabranca disse...

Obrigado A-line. Essa ideia de tridimensão é mesmo um dos objectivos da composição.
No comentário que fiz ao Telmo escrevi atinomia e queria escrever antinomia. Fica o reparo.

Pilar Arranz disse...

Ya tienes un sitio en mi blog: http://diariodeunapintora.blogspot.com/2011/03/manuel-casabranca.html
Espero que nos veamos (o leamos) con frecuencia.