sexta-feira, 27 de março de 2009

Técnicas Mistas

Desenho no Diário gráfico/Caderno de campo (Winsor & Newton, Scketch Book) com diversos tipos de riscadores:
Início com barra de carvão comprimido, intervenção com lápis branco Staedtler glasochrom, ainda 3 lápis da Derwent (Sanguine, Smoke Blue, Olive Earth) e finalmente pequenas intervenções com uma caneta de aparo Artpen da Rotring com tinta permanente violácea feita por mim. O desenho foi executado em menos de 10 minutos. A rapidez de execução é importante para obter sintese e contenção na selecção de elementos essenciais para a composição. Para mim é importante experimentar a interacção dos diversos riscadores e o seu potencial na modelação.
Posted by Picasa

segunda-feira, 23 de março de 2009

Caderno de campo/Sketchbook






Não faço muita distinção entre Caderno de Campo ou Diário Gráfico, podem perfeitamente ser duas formas de trabalho que se plasmam. Importante é entender a importância deste método de trabalho na recolha de imagem, quer a partir do referente real, quer do registo do imaginário.
I do not make much distinction between Field Notebook or sketchbook, They can perfectly be two forms of work that mix each other. The Important is to understand the importance of this method of work in the image retraction, from the referring Real, or from the register of the imaginary one.

sábado, 7 de março de 2009

Remontado











O quadro que apresento está patente na Sala Taller de María Nieves Martin em Villa Franca de Los Barros, Espanha, integrado no projecto VIVA-ARTE, na sua primeira edição e organizado por esta pintora e pelo seu marido e filhos. Um projecto em parceria com a Câmara de Vendas Novas e com aquele Ayuntamento espanhol.
Este quadro é um Remontado intitulado - O pêndulo desfocou! Uma paródia ao pêndulo de Foucault relacionada com o facto de o mundo afinal não estar tão equilibrado ecologicamente como se desejaria.
É constituído por diversas zonas de uma composição onde na zona central está adossada uma caixa que pode ser manipulada pelo observador e de onde sai uma peça em RAKU, que poderá ser assumida como o pêndulo frágil. Neste trabalho há diversos elementos como os caligrafomorfos, uma escrita com troncos de Quercus suber que estão organizados compositivamente numa ordem semântica.
No quadrante inferior direito surgem pequenas formas circum-ovalóides que são formamelnte inspiradas na covinhas das pedras que se encontram junto das Grutas do Escoural mas a sua organização é baseada numa parte do mapeamento do Cromeleque dos Almendres.
A figura feminina que ocupa o quadrante inferior esquerdo simboliza alguns aspectos que entendo pertinentes sobre a importância matriarcal na religião vivida no Alentejo que é transversal a todas as culturas que povoaram esta área.
Pode ser percebida a dimensão do quadro na foto onde também estou e que foi tirada na última edição da Internacional de Vendas Novas. (Foto da autoria da escultora Carmen Goga)